Visitantes

V Jornadas Culturais Espíritas da Ilha Terceira

No passado dia 19 de novembro, decorreram as “V Jornadas Culturais Espíritas da Ilha Terceira” no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo, organizadas pela Associação Espírita Terceirense e com o apoio da Federação Espírita Portuguesa.

À hora prevista, 10 da manhã, foi aberto o Auditório para a recepção do público que, com serenidade e expectativa, se acomodou confortavelmente à espera do que seria exposto.

 

Às 10:30, Reinaldo Barros, à viola, iniciou o evento com um momento musical agradável e convidativo à harmonização do ambiente, dando lugar a umas breves palavras pelo representante da Casa Mater do Espiritismo em Portugal que nos abraçou com o seu encanto verbal e poético e que congratulou esta que é uma das missões da Doutrina: a sua divulgação.

O dia estava bom e a equipe de trabalhadores, coesa e amiga. Prece realizada e, eis que Carla Bártolo, em representação da instituição espírita terceirense, inicia os trabalhos, expondo o

tema relativo à “Família – Um Projecto de Educação Espiritual”. No fim, o relógio biológico apontava a direcção de um pequeno intervalo matinal para o tão apetecido bolo e café.

 

Mais despertos, ouvimos Natércia Faria, membro da Associação Médico-Espírita de Portugal, falar sobre: “Parentalidade e Nascimento – O Começo da Nova Família”.

O almoço foi um momento de convívio entre colegas ilhéus e continentais que aproveitaram para fortalecer laços que unem os que caminham num mesmo objectivo.

A abrir a parte da tarde, Rafael Melo, de 11 anos, ao piano, nos deu a conhecer composições de Muzio Clementi com SONATINE, OPUS 36, Nº 3; Johann Sebastian Bach com PRELÚDIO EM FÁ MAIOR; Ludwig van Bethoven, com ECOSSAISE; Johann

Sebastian Bach com MINUETE EM SOL MENOR e, Joseph Kosma com a interpretação AUTUMN LEAVES.

 

Com esta orquestral sobremesa deu-se início aos temas da tarde a começar por Marta Rosa, do Centro Espírita Casa do Caminho, Lisboa, que nos falou sobre “Adopção – Quando os nosso filhos vem através dos outros”.

Seguiu-se Pedro Silva, também em representação da Associação local, que falou sobre “Dependência na Família: Cibermania, Toxicomania e Codependência”. A terminar, Reinaldo Barros, em representação do Centro Espírita Luz Eterna, de Olhão, dissertou sobre: “Família Corporal e Família Espiritual = Uma só Família”.

 

Terminadas as exposições, trabalhadores da casa, levam à cena uma mini peça teatral intitulada “O Poder de Uma Ideia” onde narra a história de um irmão desesperado em vias do suicídio que, à última hora, numa beira da ponte, encontra o Livro dos

Espíritos. Extremamente grato por o livro o ter salvo, escreve a Allan Kardec contando o sucedido o que motiva o Codificador a, apesar das grandes dificuldades que passava, seguir em frente com novo ânimo.

 

Com a mesa redonda, respondidas foram questões pertinentes lançadas pelo público curioso. E assim, da mesma forma como se iniciou, se fez uma prece de profundo agradecimento por mais este dia que encheu os corações de quem lá foi, encarnados e do plano espiritual que rumaram aos seus lares com novas luzes de esclarecimento e esperanças renovadas.